Como fugir do endividamento?

Quais são as consequências da inadimplência e quais as dicas práticas de como sair das dívidas.

Compartilhe

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Uma pessoa inadimplente no país deve, em média, R$3,9 mil. O número faz parte do Mapa da Inadimplência no Brasil, feito pelo Serasa. Segundo o levantamento, existem 62 milhões de pessoas nesta situação e que buscam formas de como sair das dívidas.

Em um cenário de crise econômica, redução ou perda de renda, o compromisso com os credores fica mais difícil. Em um cenário como esse, dois pontos se destacam: encontrar a melhor maneira de sair da inadimplência e como evitar que o endividamento se repita.

Neste artigo, vamos explicar quais são as consequências da inadimplência e quais as dicas práticas de como sair das dívidas.

Vamos lá?

O que acontece com quem deixa de pagar uma conta?

Quando uma conta passa da data do vencimento, você fica inadimplente para a instituição credora. Durante um prazo, a empresa notifica você de que a despesa segue em aberto.

Se você deixar de pagar essa conta vencida por mais tempo, vai passar de inadimplente para endividado. Cabe a cada empresa definir um prazo de tolerância, que costuma ser de cerca de 30 dias.

Caso continue sem pagar, você pode ter algumas dificuldades como:

  • A empresa credora pode enviar seu nome para os órgãos de restrição de crédito e você passa a ficar com o nome sujo;
  • Algumas lojas e empresas podem recusar uma compra por conta da restrição, ou encontrar menos opções no mercado. É o que acontece, por exemplo, com quem precisa de empréstimo e precisa recorrer a crédito específico para negativados;
  • Você terá dificuldade em conseguir boas condições para negociar compras ou dívidas;
  • As dívidas vão virar uma bola de neve, comprometendo ainda mais sua vida financeira;
  • A depender de qual é a dívida, você pode perder acesso a um local ou serviço, como uso das áreas comuns do condomínio, fazer as aulas na faculdade, academia, etc.
Leilão e penhora

Em casos mais extremos, a instituição credora pode entrar com ação judicial para receber o valor devido. Neste caso, o bem financiado ou colocado como garantia pode ir a leilão.

Caso sua dívida não esteja diretamente ligada à compra de um item, a empresa credora pode entrar com pedido de penhora de bens que estejam no seu nome. Eles serão vendidos em leilão e o valor será usado para pagar a dívida.

A empresa tem um prazo de até cinco anos para fazer esse tipo de pedido à justiça. Caso não faça, ela não poderá cobrar judicialmente e o nome deixará de ficar negativado. No entanto, a dívida seguirá pendente.

Como sair das dívidas, afinal?

Por mais difícil que possa parecer para algumas pessoas, existem soluções para sair das dívidas. No entanto, quem está endividado precisa partir para ações práticas e aderir a uma reeducação financeira.

A seguir, separamos dicas que passam por esses dois pontos para você aprender como sair de dívidas:

Organize suas contas

O endividamento mostra que a balança da vida financeira não está equilibrada. Há mais despesas do que receitas, indicando que algo precisa ser feito para que essa diferença não seja ainda maior.

Portanto, veja quais são suas fontes de renda e quais são as despesas, incluindo cartão de crédito, boletos, débito automático, etc. Observe quais são as principais despesas e se alguma área tem um gasto maior do que deveria.

Anote seus gastos

Essa talvez seja a parte mais desafiadora, porém mais educativa para quem quer aprender como sair das dívidas. Anote todas as suas despesas, seja pela internet, em cartão ou em dinheiro na rua, etc.

Você pode registrar as informações em um papel ou em um bloco de notas no seu celular. Também tem a opção de usar aplicativos de controle financeiro.

O ideal é usar aquilo que for mais prático para você. Anotar seus gastos vai trazer uma dimensão maior dos seus gastos. 

Corte as despesas

Corte serviços que você não vem usando com regularidade, como aplicativos, serviços de streaming, entre outros. Reduza custos também, substituindo marcas mais caras por outras mais em conta.

Defina metas

Um ponto importante para se comprometer com o fim do endividamento é definir metas. Sabendo quanto ganha e quanto gasta, você também já vai saber quanto consegue pagar por mês o que tiver em atraso.

Assim, defina um prazo realista para quitar suas dívidas. Você também pode criar metas de quanto deseja reduzir os custos nos próximos meses.

Conte com o apoio da sua família

Problemas financeiros podem ser fonte de atrito na família. Para não prejudicar este convívio, converse com seus familiares, peça a colaboração e compreensão de todos para mudar este cenário.

Priorize as dívidas com juros mais altos

Liste suas pendências financeiras e liste-as com as mais caras primeiro. Veja quais possuem taxa de juros, multas e encargos mais altos para você quitar. Cartão de crédito e cheque especial são as mais caras.

Negocie e busque a solução

Entre em contato com a instituição para quem você deve e negocie condições para quitar suas dívidas. Caso não encontre boas possibilidades e não consiga arcar os valores atuais, você pode:

  • Deixar para quitar a dívida nos feirões para limpar nome, desde que a empresa credora participe;
  • Fazer um empréstimo para quitar todas as dívidas, ou ao menos as mais caras, e seguir pagando um único credor mais em conta, como empréstimo consignado.
Procure por renda extra

Para acelerar o processo e evitar futuras dívidas, busque maneiras de aumentar sua renda. Pode ser um serviço ou a venda de produtos que você vai oferecer além do seu trabalho principal.

Lembre-se de usar essa renda extra para quitar as dívidas e poupar esse dinheiro para futuros objetivos.

Assuma o controle da sua vida financeira

Tão importante quanto quitar uma dívida é manter hábitos que vão evitar um futuro endividamento. Portanto:

  • Pesquise antes de comprar;
  • Negocie por melhor preço, especialmente se for pagar à vista;
  • Poupe para ter sua reserva de emergência e custear seus objetivos.

Você conferiu como sair das dívidas e o que fazer para manter um padrão de consumo que evite atrasar as contas.

Dessa forma, você poderá assumir outros compromissos robustos, como um financiamento para comprar um imóvel ou expandir seu negócio, por exemplo.

Você pode contar com a Financeira Alfa para reorganizar suas finanças! Confira outras dicas  aqui no nosso blog!

Notícias Relacionadas

Uma modalidade de crédito que pode apoiar no desenvolvimento do setor de agronegócio.
Entenda quais as vantagens e desvantagens de um consórcio e como avaliar se essa modalidade é ideal para os seus projetos
Fintechs de crédito, uma alternativa para quem está precisando de um reforço no caixa.
Vamos te explicar neste artigo como usar o FGTS em algo que contribua para a sua estabilidade financeira.

Compartilhe

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Notícias Relacionadas

Uma modalidade de crédito que pode apoiar no desenvolvimento do setor de agronegócio.
Entenda quais as vantagens e desvantagens de um consórcio e como avaliar se essa modalidade é ideal para os seus projetos
Fintechs de crédito, uma alternativa para quem está precisando de um reforço no caixa.
Vamos te explicar neste artigo como usar o FGTS em algo que contribua para a sua estabilidade financeira.
.

Sua Mensagem foi
enviada com sucesso!